Tid  4 dagar 5 timmar 59 minuter

Koordinater 13749

Uploaded den 3 januari 2020

Recorded januari 2020

-
-
1 421 m
613 m
0
27
53
106,5 km

Visad 728 gånger, ladda ned 23 gånger

i närheten av Diamantina, Minas Gerais (Brazil)

Trajeto misto de estradas e trilhas, com predominância de trilhas consolidadas, saindo do terminal rodoviário de Diamantina, passando pelo vilarejo de Biribiri, São João da Chapada e Santa Rita, com chegada à vila de Santa Bárbara (município de Augusto de Lima). Percurso realizado de forma autônoma e totalmente a pé, em 5 dias.
Como são muitos os "pontos de interesse" ao longo da rota e há o limite de 50 por arquivo aqui no Wikiloc, priorizei a informação dos pontos de água, áreas utilizadas para acampamento e informações de orientação julgadas importantes.

LOGÍSTICA:
Relativamente simples, em função da rota escolhida. Tendo como referência a capital Belo Horizonte, o primeiro passo é a saída para a cidade de Diamantina, feita pela viação Pássaro Verde, com diversos horários diários (recomenda-se o das 23:59). No ponto final, fretamos um carro até o trevo de acesso a Santa Bárbara (valor padrão R$30 por veículo, em jan/2020). No trevo de acesso tomamos o ônibus de retorno à BH, as passagens foram compradas ANTECIPADAMENTE (empresa Transnorte, comprar seção Estação Curimataí x BH). A empresa Transnorte também possui vários horários diários.

A TRAVESSIA:
1º dia: Diamantina x Formiga

Desembarque no terminal rodoviário de Diamantina, no Largo Dom João. A caminhada começa seguindo a rua do Bicame e outras ruas menores até o trevo de acesso ao Parque Estadual do Biribiri. Algumas dezenas de metros antes da portaria do Parque, deixamos a estrada de terra em favor de uma trilha que se inicia após cruzar um passa-um. Chegando ao campo tomamos uma trilha à direita, bem demarcada, que segue em ligeiro declive até a cachoeira da Sentinela, já no interior do Parque.

Após visita à cachoeira, cruzamos o córrego e seguimos subindo por uma trilha discreta do outro lado, acompanhando o leito do curso d'água. Em um ponto acima a trilha se afasta do leito e enfrentamos um aclive acentuado na Serra dos Cristais. Após alcançar o ponto culminante do 1º dia, seguimos em declive pela serra até a cachoeira dos Cristais.

Depois a cachoeira a caminhada segue em estrada de terra até o vilarejo de Biribiri. Após o vilarejo seguimos por uma estradinha vicinal, alternando subidas e descidas, até interceptar a estrada que dá acesso ao bairro de Pinheiros. Logo depois deixamos a estrada em favor de uma trilha, que alterna trechos mais limpos e sujos, levando-nos em direção ao rio Pinheiro. Antes de chegar ao rio, no entanto, cruzamos um trecho de capoeira e pastagem, onde não há trilha definida.

Do outro lado do rio subimos por um degrau rochoso e continuamos por uma trilha suja até interceptar o caminho mais consolidado. Por este caminho seguimos serra cima até um local conhecido como Formiga, onde acampamos nas proximidades de um córrego homônimo.

Neste dia caminhamos 29,1km.

Dia 2: Formiga x Capivara

A caminhada se desenvolve basicamente na direção L-O. O trecho inicial, até São João da Chapada, é basicamente um aclive constante pela serra da Guiné, com somente um ponto de água (o córrego da Guiné). Após São João o relevo estabiliza e predominam os declives. Boa parte deste trecho é feito, a princípio, pelo estradão que leva a Macacos e, posteriormente, por uma estradinha que leva à região da Lapinha. Ressalta-se que, após a bifurcação da Lapinha, existem algumas trilhas-atalho, inclusive um atalho interessante antes de chegar ao córrego da Lapinha não foi utilizado por nós.

A travessia do rio Pardo Grande é rasa, mas como rio possui um leito largo foi preciso retirar as botas. Somente em caso de muita, mas muita chuva é que essa travessia pode ficar complicada, em virtude de alguma correnteza. No entanto, esta travessia fica próxima à nascente do rio, além do mais há uma barragem alguns quilômetros acima, o que diminui a vazão mesmo na época da cheia.

Após o rio Pardo passamos margeando a cerca de dois sítios e mais acima atravessamos um terreno recém roçado para encontrar a trilha original. O trecho final é desenvolvido em meio a um cerrado bem arborizado. Já nas proximidades do córrego Capivara há uma área de cerradinho, com vegetação rasteira, local ótimo para armada de barracas. Acampamos logo após a passagem por um pequeno afluente do Capivara.

Neste dia caminhamos 25,1km.

Dia 3: Capivara x Rio Preto

Saindo do afluente do Capivara, seguimos pela trilha consolidada no rumo norte, para, mais a frente, cruzar o próprio córrego da Capivara por uma pinguela em mau estado de conservação. A partir daí a trilha segue em ligeiro aclive, por um trecho úmido de cerradinho, tendo em vista que é uma região de nascentes.

Em um trecho mais elevado a trilha deixa o cerradinho para adentrar a uma grota na Serra do Tigre, um dos poucos trechos sombreados do trajeto. Por conta da mata mais viçosa a trilha estava mais suja em alguns pontos, denotando falta de uso.

Mais a frente deixamos o capão de mata e passamos a avançar pelos gerais da serra do Tigre, trecho de muitos afloramentos rochosos e vegetação rasteira, com um dos visuais mais bonitos da rota. A partir daí a trilha segue em ligeiro declive rumo ao fundo do vale do córrego Paciência e ao povoado de Santa Rita.

Chegando ao povoado, demos uma esticada até a cachoeira de Santa Rita, um opcional que aumenta 18km da travessia. Seguimos pela estradinha vicinal para o norte, de encontro ao limite sul do ParNa das Sempre Vivas, que se dá na passagem pelo córrego Grota de Santa Rita. A partir de um rancho a estradinha precária se transforma em uma trilha, que cruza o córrego de Santa Rita e o Rio Preto, além de um brejo e outro afluente, até o acesso à cachoeira de Santa Rita.

O trecho entre a trilha de Curimataí e o rio Preto (pouco acima da cachoeira) não possui caminho definido, devendo o caminhante optar pelos trechos mais limpos.

No retorno da cachoeira acampamos as margens do rio Preto. Neste dia caminhamos 21,7km.

4º dia: Rio Preto x Barragem

Retornamos pela trilha e estradinha, sentido povoado de Santa Rita. Após a capela, em vez de seguir direto pela estradinha, tomamos uma trilha-atalho à direita, que nos deixou bem acima do bar. Seguimos pela estrada que leva a Buenópolis até uma cancela de madeira, onde entramos à esquerda, numa estradinha precária.

Seguimos em ligeiro aclive pela estradinha, passando pelo limite norte da serra do Capão da Onça. A caminhada é feita por um trecho de cerrado, com alguns pontos repletos de trilhas paralelas e que também se cruzam, demandando atenção na navegação. Como seguimos por uma trilha em um patamar mais elevado da serra, fomos obrigamos a tomar um breve trecho sem trilha definida para alcançar o caminho que cruza o córrego Três Paus e avança em direção a barragem. Este trecho sem trilha, no entanto, é de baixíssima dificuldade e não acarreta em perda de tempo.

Cruzado o córrego Três Paus, a caminhada segue em meio a um cerrado, passando também pelas veredas do córrego Espinho, antes de chegar ao rancho da barragem caída.

Neste dia caminhamos 19,5km.

Dia 5: Barragem x Vila de Santa Bárbara

Retornamos pelo trecho final do dia anterior, desta vez atravessando o córrego do Espinho e prosseguindo pela estradinha. Após um ligeiro aclive tem início uma longa descida, que termina somente em Santa Bárbara. Passamos por um pomar próximo a um afluente do riacho d'Areia. Mais a frente a um trecho confuso, onde a trilha fica bastante suja em meio a um capoeirão. Adiante a trilha torna a ser bem batida e tem início a parte mais pesada da descida da Serra de Minas. Chegando a barragem de Santo Antônio o declive suaviza e o trecho final é mais tranquilo.

Antes de finalizar passamos no topo da cachoeira de Santa Bárbara, com um belo visual do sertão e vários poços bons para banho.

Neste dia caminhamos 9,8km.

OBSERVAÇÕES:
> Apesar da longa distância, a trilha é facilmente percorrida em 5 dias, não existindo grandes dificuldades ao longo do trajeto. O trecho mais crítico, sem sombra de dúvida, é o acesso à cachoeira de Santa Rita, em virtude de um trecho curto sem trilha demarcada. Ressalta-se que, nesta oportunidade, não descemos até o poço da cachoeira, em virtude do rio cheio e da ameaça de chuva no momento da visita.

> Começar cedo a caminhada é um diferencial para aproveitar os banhos de rio ao longo do trajeto. Principalmente o terceiro dia, onde é possível visitar a cachoeira de Santa Rita.

> Travessia realizada no período chuvoso, com muita oferta de água pelo caminho. No entanto, há trechos secos mais longos que demandam alguma atenção. Autonomia sugerida: 1,5L por pessoa.

> Boa parte desta travessia é feita por áreas particulares, aparentemente sem restrições de uso. O trecho inicial engloba áreas do Parque Estadual do Biribiri, enquanto o ataque à cachoeira de Santa Rita avança por áreas do Parque Nacional das Sempre Vivas. NÃO FAÇA FOGO, LEVE SEU LIXO DE VOLTA e FECHE AS CANCELAS/TRONQUEIRAS QUE PASSAR. Seja gentil com os moradores locais e peça licença para atravessar as propriedades.

> A maior parte da caminhada é feita em áreas expostas, chapéu e protetor solar são itens obrigatórios.

> Não há qualquer tipo de estrutura nos pontos de acampamento e ao longo de boa parte da rota. É uma caminhada feita de forma autônoma, levando tudo o que for preciso. No entanto, o caminhante poderá contar com alguns serviços no vilarejo de Biribiri e no distrito de São João da Chapada.

> Há sinal de telefonia móvel em vários pontos da caminhada, em especial no 1º, 2º 4º e 5º dias.

> Rotas de fuga: No 2º e 3º dia pode ser avaliado o retorno para São João, que conta com transporte coletivo para Diamantina. No 3º e 4º dia a localidade mais próxima é Santa Rita, onde é possível conseguir algum serviço de transporte até a cidade mais próxima (seja Buenópolis ou Diamantina). Nota-se que, dependendo da localização do caminhante, serão necessárias várias horas de caminhada até atingir o ponto de escape.

View more external

Flod

Córrego Espinho

träd

Pomar - Córrego adiante

Waypoint

Vila de Santa Bárbara

Augusto de Lima
Flod

Barragem Santo Antônio

Vattenfall

Topo Cachoeira Santa Bárbara

Waypoint

Direita - Trilha suja

Waypoint

Acampamento 3 - Rio Preto

Sacred architecture

Capela - Santa Rita

vatten

Água na cerca

Waypoint

Entroncamento trilhas

Flod

Cancela - Nascentes Três Paus

Flod

Erosão - Afluente Três Paus

Flod

Córrego Três Paus

tältplats

Acampamento 4 - Barragem

Flod

Córrego dos Cristais

Waypoint

Sair da trilha à direita

Vattenfall

Topo Santa Rita

Waypoint

Córrego Capivara - Pinguela

Flod

Afluente Capivara

Crossroads

Esquerda - entrada trilha

Flod

Córrego Santa Rita

Flod

Córrego Paciência

Waypoint

Santa Rita - Bar

Waypoint

Ponto de acampamento

Waypoint

Cancela - Córrego Grota de Sta Rita

Provisioning

Vila de Biribiri

Flod

Brejo

Flod

Afluente Santa Rita

Flod

Córrego Santa Rita 2

Flod

Rio Preto

Waypoint

Acesso Santa Rita - Sem trilha

Flod

Rio Pinheiro

tältplats

Acampamento 1 - Formiga

Flod

Córrego da Formiga

Flod

Córrego da Guiné

tältplats

Acampamento 2 - Capivara

Sacred architecture

Capela - São João

Flod

Córrego Lajeado

Waypoint

Cancela - Trilha à direita

Waypoint

Córrego da Lapinha

Flod

Rio Pardo Grande

Waypoint

Subir degrau

Flod

Córrego Lambari

Waypoint

Direita - Passa-um

Waypoint

Córrego do Cocho

Waypoint

Largo Dom João

Diamantina
Flod

Córrego Água Limpa

Waypoint

Cristais

Waypoint

Bifurcação Sentinela-Cristais

Vattenfall

Sentinela

Kommentarer

    You can or this trail