Koordinater 3556

Uploaded den 31 oktober 2019

Recorded oktober 2019

-
-
92 m
70 m
0
11
22
44,83 km

Visad 38 gånger, ladda ned 5 gånger

i närheten av Taquara, Amazonas (Brazil)

Embarcamos às 0730h novamente na mesma voadeira/tripulação em Maturacá, agora com destino ao início da trilha na selva. Após 2h de navegação, aportamos às 0930h dentro da foz do igarapé Tucano. Nesse local, piloteiro e proeiro da voadeira dose despendem do grupo, confirmando a data de retorno para resgate no mesmo lugar.
Início da caminhada em direção ao primeiro pernoite no ACAMPAMENTO IROKAE. São 7.2km e 5h de trilha na selva, na sombra. Começamos ao nível do igarapé Tucano (92m de altitude) e terminamos o dia com 134m, passando por alguns picos de no máximo 141m de altitude. Uma subida lenta e tranquila para começar a esquentar os músculos. A temperatura em outubro de 2019 teve pico de 38ºC na trilha, ou seja, beba bastante água e aproveite os igarapés que cruzar para refrescar a cabeça e corpo (usei a bandana molhada na cabeça o tempo todo). Os bastões de trekking foram bem úteis, pois minha mochila pesava mais de 15kg, diferente dos 10kg nas travessias da Trilha Transmantiqueira… A trilha cruzará 2 igarapés onde você irá molhar 100% a bota: eu tirei a bota de trekking e cruzei usando a de borracha, que estava do lado de fora da mochila. Vale a pena o esforço pois já estará próximo do local de pernoite.
Chegamos no ACAMPAMENTO IROKAE depois de 4h de caminhada num ritmo tranquilo.
O acampamento fica logo após cruzar o segundo igarapé citado e assim que cruzar, na margem oposta existe um local de pernoite dos yanonamis que usam a trilha para subsistência (caça e pesca), já o nosso IROKAE está 50m mais pra frente. Cabem umas 4 ou 5 barracas (tem que limpar o chão) e o rio para banho e beber água fica do lado esquerdo da trilha, na direção de deslocamento.
Obs.: ainda existem troncos caídos no leito da trilha que dificultam o caminhar. No acampamento e nos locais de parada (são sempre os mesmos locais onde é possível sentar, ou tem um igarapé para se refrescar, etc.) existe muito “lixo" deixado pelos yanonamis e/ou/talvez, expedições anteriores (embalagens plásticas e latas de conserva). Não existe sinalização na trilha.
1º)Aéreo 1: passagem de avião de São Paulo-SP para Manaus-AM - moro em Taubaté-SP e rolou antes uma viagem até Guarulhos pra pegar o voo (foram 4hs de voo até Manaus).

2º)Aéreo 2: passagem de avião da empresa MAP, de Manaus-AM para São Gabriel da Cachoeira-AM (foram + 2hs de voo até São Gabriel).
É um voo “barulhento” (avião turbo-hélice), sendo assim, aconselho um fone de ouvido e uma musiquinha de fundo :))).
E se não acertou o relógio em Manaus, faça-o agora: “atrase” 1h.
Chegue 1h30min antes do seu vôo para fazer o check-in, pois a MAP encerra o embarque bem mais cedo que o normal!

Compre logo sua passagem de volta na MAP. Paguei 600 reais de Manaus -> SGC e a volta já estava custando mais de 1.000 reais!!! Consegui carona com avião militar, mas se tivesse deixado pra comprar no fim da aventura, teria ficado de molho por 2 semanas, esperando o próximo voo!!!
Na MAP eles são criteriosos com “baterias" de Ion de Lítio na bagagem despachada; eu levei 4 de reserva para o SPOT satélite, várias alcalinas para o GPS, 3 baterias CR2032 para o termômetro GarminTemp, que descarregou bem rápido, além de um PowerBank para o celular na trilha e foi tudo na bagagem de mão - não falei nada, pois elas estavam no meu colo e todas embaladas, sem chance de curto-circuito.
-Fogareiro a gás? esquece, pois os cartuchos de gás no estilo da NTK são proibidos nos voos (claro) e lá não tem pra comprar. Caso queira levar, use um de álcool (mais leves do que os que usam gasolina e derivados, tipo os da MSR) e compre lá em SGC o álcool.
-Não precisa levar facão de mato (os guias já levam) mas não esqueça de colocar seu canivete e o talher na mochila despachada!

3º)Terrestre: em São Gabriel da Cachoeira-AM, alugamos um transporte fretado (caminhonete Toyota), para nos levar por 85km de estrada de terra ruim (média de 20km/h) até um local chamado Porto Frente-Sul ou Km 85 da BR-307, que na verdade é uma “prainha de rio" bem simples e pequena, um local onde as voadeiras (barcos leves) que navegam pelo igarapé Ya-Mirim aportam. Este é o mesmo igarapé que, no sentido contrário ao nosso, subindo o rio, segue para a região dos “6 lagos”, aquela do tal “nióbio”. Este transporte é acertado previamente em SGC com os “toyoteiros”, como são conhecidos. Custa R$1.000 reais cada viagem para o Frente-Sul; cabem 2 passageiros na cabine da Toyota e mais alguns e as mochilas, na carroceria. No caso de uma dupla, 500 reais pra cada um :((( lembrando que na volta serão mais 1.000 reais para o “toyoteiro" te buscar e vc terá que avisá-lo da sua data de retorno via WhatsApp, usando a internet livre do Governo Federal que existe em Maturacá - quanto mais pessoas embarcadas, mais barata fica a viagem. Usamos o serviço do Sr. Coelho e seu filho, o Kiko no zap (97) 991.988.628. Detalhe: ele irá levar na carroceria da “toyota”, o combustível para o barco que nós iríamos pegar, em galões (chamados de “carrotes"), de acordo com o que vc acertou com o pessoal da AYRCA anteriormente por telefone.
Fique atento, pois irá cruzar a linha imaginária do EQUADOR perto do Km 25 e vale uma foto ali. Também cruzará por um posto do Exército (antigo posto da FUNAI) onde o veículos poderá passar por uma revista (drogas, bebidas, armas, etc.); ali, no passado, um funcionário da FUNAI foi assassinado e o local ficou abandonado por muito tempo. O Exército assumiu para controlar o tráfego na BR-307. (foram 4hs de estrada até o Frente-Sul)

4º)Náutico 1: do Porto Frente-Sul até a localidade de Maturacá, onde existe uma aldeia Yanonami junto com o 5º Pelotão de Fronteira (PEF) do Exército Brasileiro. Alugamos um barco leve com motor de 40HPs (chamado de voadeira) que veio da aldeia nos buscar.
Tivemos que levar de São Gabriel todo o combustível que seria usado nos deslocamentos de voadeira.
Leve óculos escuros (mosquitos e sol), boné (sol), jaqueta (vento) e protetor auricular (barulho do motor) e besunte-se de protetor solar sempre, pois irá fritar no sol amazônico da linha do Equador
O litro de gasolina em SGC estava custando R$4,55 em outubro de 2019, mês da viagem lembrando que é necessário o óleo também. A voadeira vai na velocidade média de 30km/h. Pernoite em Maturacá (foram 6h e meia de rio).

5º)Náutico 2: aluguel da mesma voadeira que nos trouxe até Maturacá, agora nos levando até a foz do Igarapé Tukano, onde a trilha na selva começa oficialmente. As idas e vindas e o gasto de combustível serão acertados com os indígenas Yanonamis na chegada em Maturacá, através da AYRCA. (foram mais 3,5hs de rio).

=> Finalmente, depois de 6 horas de avião, 4 horas de Toyota e 10 horas de barco chegamos no início da caminhada.

Obs.: Em São Gabriel da Cachoeira:
-chegando no aeroporto = um táxi até a cidade custa entre 60 e 80 reais; um PratoFeito no aeroporto, esperando um táxi ou seu voo, sai por 20 reais. Ali não tem sinal de celular, então, acerte antes ligando de Manaus pro taxista ou torça por uma carona quando pousar…
-no porto de SGC = caso decida voltar pra Manaus de barco, existem as lanchas rápidas e as “lentas”; as rápidas são as chamadas “expressas" onde vc vai sentado, com ar condicionado e servem refeições; já as lentas, vc tem que levar uma “rede”, daí caso volte fazendo turismo pelo rio Negro até Manaus, gaste entre 40 e 60 reais e compre uma rede em SGC antes de embarcar.
Elas saem de SGC às 7h do sábado pra Barcelos e chega no destino por volta das 2130h, custando R$410,00. Caso vá para Manaus, chega às 7h do domingo, viajando a noite toda e custa R$480,00. No centro de SGC existem alguns escritórios dessas “lanchas”, fácil de encontrar.
-táxi lotação com até 4 pessoas dentro = pague 4 reais por pessoa e ele te leva pra onde quiser; alguns carros estão identificados, outros são no estilo “uber" de ser, mas é só acenar com a mão na rua que alguém vai parar.
-moto táxi = custo de 3 reais. Eu não "arrisquei" em usar o capacete :)))
-almoço na beira da praia no Restaurante Íris = delicioso prato individual de peixe surubim + acompanhamentos por R$31,00 ao som dos pássaros amarelos e pretos, o xexéu (ou iapii, como são conhecidos localmente), fazendo barulho nas árvores próximas desse pequeno restaurante familiar.
-jantar perto do centro = na Cave do Conde ou no “Selva".
-café da manhã = no café da Keila (tapioca + suco de frutas + xícara de café por 14 reais)
-bancos = Bradesco e Brasil eu achei…
-comprar uma bota de borracha = Atacadão Brasil, na Rua Costa e Silva, custa em torno de R$50,00 um par nr 42 (em Taubaté-SP eu paguei R$80,00 !!!)
-loja de artigos militares= Cautela e Surara (97) 991.577.541/3471.1546 Centro de SGC, na Av. Castelo Branco, 474, ambas no centro e próximas.
Waypoint

Canal Maturacá (BIF)

Waypoint

Porto Alt95m

Waypoint

Foz Igarapé Tucano 89m

Kommentarer

    You can or this trail