Ladda ned

Avstånd

45,5 km

Höjdökning

345 m

Svårighetsnivå

Medel

Höjdsänkning

353 m

Max höjd

666 m

Trailrank

32

Min höjd

543 m

Ledtyp

Ej i slinga
  • Bild av 1⁰ Encontro de ciclistas (rota da transposição) em Sertânia-PE
  • Bild av 1⁰ Encontro de ciclistas (rota da transposição) em Sertânia-PE
  • Bild av 1⁰ Encontro de ciclistas (rota da transposição) em Sertânia-PE
  • Bild av 1⁰ Encontro de ciclistas (rota da transposição) em Sertânia-PE
  • Bild av 1⁰ Encontro de ciclistas (rota da transposição) em Sertânia-PE
  • Bild av 1⁰ Encontro de ciclistas (rota da transposição) em Sertânia-PE

Rörlig tid

3 timmar 13 minuter

Tid

4 timmar 53 minuter

Koordinater

5315

Uppladdad

29 maj 2022

Registrerad

maj 2022

Avancerade filter

Filtrera genom att ange månad eller datum. Hitta leder enbart från personer du följer.

Skaffa Wikiloc Premium Uppgradera för att slippa annonser
Avancerade filter Avancerade filter
Var den första som applåderar
Dela
-
-
666 m
543 m
45,5 km

Visad 22 gånger, laddats ned 0 gånger

i närheten av Sertânia, Pernambuco (Brazil)

Rota da Transposição:

O primeiro encontro de ciclistas em Sertânia foi um passeio ciclístico realizado no dia 29 de maio de 2022 (domingo) pela equipe Clube Pedala 1000, da mesma cidade. E contou com apoio da estrutura municipal, além de diversos patrocinadores da região que ajudaram o evento acontecer.

A CIDADE DE SERTÂNIA

A pequena cidade de Sertânia fica na região do sertão do Moxotó no estado de Pernambuco próximo das cidades de Custódia-PE, Arcoverde-PE, Buíque-PE, Ibimirim-PE, São Sebastião do Umbuzeiro-PB e Monteiro-PB. Já a distância em relação a capital Recife é de 314km (4h30m de carro aproximadamente), Maceió 323km e João Pessoa 324km. Só por curiosidade, economicamente se destaque pela caprino cultura.

INÍCIO DO PEDAL

O evento ciclístico foi realizado em dois dias, no primeiro dia (28, sábado) os ciclistas foram recebidos na rua Velha, ou rua da Igreja Antiga da cidade (Paróquia Nossa Senhora da Conceição) para retirada do kit de participação. Também houve uma recepção com um pequeno show e encaminhamento aos hotéis da região. Foi bom para quem não conhecia a cidade poder turistar um pouco antes do evento principal que seria no dia seguinte. Já eu, confesso que cheguei no dia seguinte e fui direto ao evento principal.

No domingo, a grande maioria dos ciclistas chegou bem na hora do evento principal. E, se concentraram no Ginásio da cidade: Epaminondas Morais que conta com uma boa estrutura para acomodar um grande número de pessoas.

Logo após a entrega dos kits para aqueles que chegaram no dia 29, o trio elétrico começou a dar o tom chamando os ciclistas com um pequeno "esquenta" para animar a galera. Também foram proferidas algumas palavras pela autoridade municipal, sabe como é!?

Vale dizer que o 1º Encontro de ciclistas em Sertânia contou com a presença da ilustre Lucimar, mais conhecida como a cantora do pedal ou Pedal do Insta, vinda diretamente da cidade de Monteiro-PB. Ela, mais uma vez conseguiu animar bastante a galera com seus 'hits consagrados' antes do início da pedalada, durante nos pontos de apoio e posteriormente no encerramento. É sempre um verdadeiro show!

Como já era esperado, houve uma pequena volta de aquecimento pelas ruas da malha urbana e com uma rápida parada em frente a igreja Matriz da cidade para a bênção do padre aos ciclistas participantes! Na sequência, fomos levados até o início da estrada para pegarmos um desvio até o primeiro estradão de terra do percurso.

O que não foi comum, mas estava dentro do anunciado, foi que o tradicional café da manhã oferecido aos ciclistas aconteceu em uma propriedade rural logo após 6km de pedalada, e não antes do início do evento como de costume. Olha… eu não julgo esse quesito porque 6km não chegou a ser um esforço para chegar lá. Acho apenas que gera uma certa ansiedade em algumas pessoas que não querem chegar muito atrás e talvez perder algum item oferecido do cardápio. Por outro lado, ajudou em matéria da pontualidade! Sinceramente, não reparei se demorou muito a iniciar o evento e se estava dentro do horário combinado, contudo, também não percebi a passagem do tempo. Então, está valendo, né!?

CAFÉ DA MANHÃ

Sobre a recepção para o café da manhã, posso dizer que o local escolhido foi um sítio bem bacana e com bastante espaço para acomodar as bicicletas e os ciclistas! Fomos servidos em esquema de fila indiana e com várias opções como: banana, melão, abacaxi, melancia, café preto, 3 ou 4 tipos de bolos caseiros, pão francês e pão 'careca' para ser recheado como ovos mexidos ou molho de salsicha, cuscuz, além de refrescos e doces da marca Tambaú (um dos apoiadores do evento). Posso ter esquecido de alguma coisa, mas o café estava muito bem servido!

Além da estrutura do café com música ao vivo, também havia no local um sanitário unissex simples (até mesmo porque é uma residência) e disponibilidade de mesas com cadeiras para quem quisesse se acomodar melhor. Inclusive, com a possibilidade de sentar-se bem próximo ao açude da região, açude da Barra, se eu não me engano. E, por falar nele, o açude formou uma bela paisagem para fotos com suas águas claras e límpidas. Provavelmente, algum ciclista deve ter se empolgado e tomado um banho ali, mas eu não vi!

A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Saindo do café e voltando ao percurso, continuamos em direção a famosa transposição do rio São Francisco. Após, mais ou menos 4km de pedalada através das estradas rurais e passando pelos sítios da região de Sertânia, demos de cara com o primeiro trecho da transposição. E, realmente é muito bacana ver uma obra tão grande e famosa que transporta água potável (que é vida!) para quem precisa, ou seja, todos nós!

E, mais legal ainda, foi percorre um enorme trecho passando bem ao lado desta grande obra que é um canal de escoamento das águas potáveis do rio para as cidades do sertão e do agreste pernambucano. Um visual incrível da construção do homem emoldurada pela obra de Deus! As serras verdes no entorno do chão seco e árido do sertão.

Teve muita gente que não resistiu aos encantos da obra e resolveu dar um tchibum (até com a bike) nas águas para a alegria da galera ciclista de plantão que estava filmando e fotografando tudo para as redes sociais! Como dizem, foi só resenha viu!?

METADE DO PERCURSO

Após 25km de pedalada, o percurso seguiu para fora do ramal da transposição e voltou para as estradas rurais da cidade. Acho bem interessante esse visual da caatinga um pouco diferente do que eu estou acostumado, uma vez que sou do sudeste e o que predomina lá é a mata atlântica. E a mata desmatada, infelizmente!

Apesar de bonito e interessante, também é um pouco perigoso porque a vegetação do sertão costuma ser mais seca e um tanto espinhosa. Fora algumas espécies de cactos que parecem saltar das margens e querer agarrar você bem no meio do percurso…rs.

Na continuação, pude observar vários sítios e fazendas com seus pastos bem verdinhos, o que muito me chamou a atenção! Um visual muito bonito mesmo… de pura tranquilidade além de um clima ameno e bem agradável, já que estava nublado e querendo chover.

CAMINHO DA GROTA

Após o terceiro ponto de apoio, fui avisado por um participante ou organizador para tomar um pouco de cuidado com o 'caminho da grota'. Perguntei o porquê, ele me disse que era um caminho bem mais fechado e com bastante pedras soltas, desníveis abruptos e risco de quedas. Fiquei com um pouco receio e entrei na mata com bastante respeito por não saber o que esperar. Mas, logo percebi que apesar dos perigos, existia um verdadeiro trecho de trilha de mountain bike bem ali! E fui me empolgando cada vez mais!

Durante o trecho, eu vi muitos ciclistas parados pelo caminho tapando furos e descansando da árdua passagem que continha um bocado de subidas em terrenos acidentados e até perigosos mesmo. Mas, certamente esse foi o melhor e mais emocionante trecho do percurso! Essa opinião não foi apenas minha, mas como a de muitos que passaram por lá e comentaram o mesmo! Esse foi MTB na veia… radical! Me arrisco a dizer que foi o melhor do ano até agora que participei!

Saindo da vereda encontramos mais um ponto de apoio (o quarto) com bastante água, gelo, alimentos, degustação de produtos a base de caprinos (CEDOCA) e animação.

RETA FINAL

Saindo do último ponto de apoio, começou um caminho de estradão bem tranquilo e sereno, passando por vilas e sítios novamente. Então, pude perceber que estava pedalando pelos quilômetros finais do excelente percurso da 'Rota da Transposição' e tentei curti ao máximo. Um caminho bem bacana que nos levou até o centro da cidade novamente e em direção ao ponto de partida, ou seja, o ginásio Epaminondas Morais.

Nesse ponto só me restava pensar como seria a qualidade do almoço e se teria sobremesa...(risos).

ALMOÇO E ENCERRAMENTO

Sobre o rango, bem... posso dizer que foi padrão, ou seja, nada de mais e nada de menos. Apenas para matar quem estava me matando! Mas isso não quer dizer que estava ruim!

Quem chegava ao estádio, poderia entrar em uma fila para retirar seu alimento que foi servido pelos voluntários do evento em um prato do tipo 'isopor' descartável. O prato oferecido foi uma feijoada básica composta por feijão com carne, arroz, couve, farofa, vinagrete e laranja. Além da opção de se servir de alguns doces da marca Tambaú como sobremesa. Bebidas a parte!

Além das arquibancadas, os participantes também tiveram a disposição mesas e cadeiras para melhor se acomodarem!

Como não poderia ser diferente, ainda houve bastante animação musical com a cantora do pedal para finalizar o evento em grande estilo!

Com toda certeza, um evento que deixou um gostinho de quero mais e o sucesso foi grande. Pois, a próxima edição já foi confirmada para o mesmo período do ano que vem.

PONTOS DE APOIO

Sobre essa questão, posso dizer já resumindo que os pontos de apoio foram muito bons. A localização de cada um foi excelente porque permitia que cada participante chegasse com sua bicicleta sem a preocupação de achar um lugar "seguro" para deixá-la. E, também, por serem lugares arejados as pessoas tinham como pegar seus itens e se afastarem para dar a vez para outra pessoa se servir. E, todos os pontos foram assim, parabéns para organização pela a visão.

Primeiro PDA - Na primeira parada eu lembro que foram oferecidos diversos alimentos como frutas, doces, água gelada, GELO, sacolé (dimdim, geladinho, gelinho ou como você preferir... kkk) e outros itens. Vale dizer que os voluntários que serviam os itens estavam usando luvas descartáveis, o que pode ser um detalhe para uns, mas pelo menos eu acho isso muito legal. Além da mesa, a cobertura da tenda também estava toda enfeitada com o tema das festas juninas. Como se não bastasse, para animar ainda mais, uma caixa de som tocando os forrós da estação.

Segundo PDA - O segundo ponto... esse foi marcante, simplesmente porque para você alcançar a tenda era necessário subir uma big ladeira onde o terreno não era dos melhores. Eu mesmo tentei zerar, mas infelizmente fui vencido pelos buracos no chão e pela falta de ar...rs. Mas, vamos ao que interessa, uma mesa grande e com bastante itens para os ciclistas reabastecerem o tanque. Se eu não me engano, acho até que me ofereceram um caldinho de alguma coisa que eu não lembro. Mas, eu tenho como hábito, na maioria das vezes, fugir de alimentos que não estou acostumado. Até mesmo porque quando estou em esforço não costumo ter muita fome, então dou preferência aos líquidos, frutas leves e alguns doces. Além dos itens comuns também tinha um caldo de cana e cana! KKK. A "marvada" se fez presente no evento travestida de uma lata de Pitu. Agora, não não sei se era para os organizadores do evento ou se para todos! Acabei não perguntando, contudo achei bastante inusitado!

Ah, a cantora do pedal já estava lá quando eu cheguei promovendo aquela bagunça e colocando que ainda tinha disposição para dançar e cantar!

Terceiro PDA - O terceiro ponto foi super especial, dentro de uma propriedade rural bem simples. Daquelas que podemos chamar de sítio. Lá parecia ter uma casa aonde alguns músicos faziam seu show de forró arretado sob um alpendre e brincando com os participantes que viam chegando. O local estava bem enfeitado com o tema das festas de junho e com direito as palhas, bandeirinhas, balões e muita chita. Sobre a mesa de guloseimas, acho que era a mesa mais bem servida do evento, tinha muita coisa mesmo: frutas, suco de frutas, mungunzá (canjica para mim), canjica (curau para mim), pamonha, paçoca, pé de moleque, milho verde cozido, doces da marca Tambaú e mais um tantão de coisa boa! Além de água e gelo é claro. Deu até vontade e fica mais tempo por ali, mas não gosto de deixar o corpo esfriar muito para a preguiça não atacar!

Quarto PDA - O quarto e último ponto foi montado bem em frente a sede da fazenda de caprinos cujo a marca de seus produtos se chama Lácteos duSertão (próxima ao açude do sítio). Seus produtos a base de leite de cabra são produzidos no CEDOCA (Centro de Excelência em Derivados de Carne e Leite) e seus representantes estavam lá para atender ao público que chegava muito curioso. Dito isto, posso dizer que foi a mesa mais extravagante de todas porque além dos itens mais comuns como frutas, água e gelo. Também foram oferecidos como itens de degustação os produtos da fazenda. Muito chique, não?! Então, estavam a disposição o leite de cabra pasteurizado e aromatizado, o licor de leite de cabra a base de cachaça, diversos tipos de queijos de caprinos, requeijão "seco" de leite de cabra, linguiça de bode (muito boa por sinal) e até xerém de bode! No mínimo uma experiência gastronômica, turística e cultural. Acho que esse último ponto de apoio foi para fechar com chave de ouro, parabéns!

KIT DO PARTICIPANTE

O kit de participação foi composto por 1 camisa, 1 bandana, 1 sacochila, além de 2 fitas auto adesivas.

A camisa de ciclista do evento foi desenvolvida com três bolsos com elástico nas costas, um zíper na gola (13 cm) e um elástico na barra para fixação no corpo.

Achei bacana o design da camisa que continha no "peito" a marca do evento sobre um fundo do tipo padrão geométrico em cores amarelo esverdeadas. E, vale destacar que cada manga carregava um símbolo, no caso, um brasão do governo municipal (sertânia) e uma bandeira (estado de Pernambuco).

Visualmente ficou bem resolvida e limpa, sem aquele monte de marcas de patrocinadores e apoiadores como de costume que muitas vezes você não consegue nem ler e só estão ali para poluir o design, o único apoiador presente foi a marca Tambaú. Porém, na minha humilde opinião, poderia ser um pouco mais bonita. Mas mesmo assim gostei da peça!

O tecido parecia ser um poliéster padrão de boa qualidade, do tipo que você consegue usar para seus treinos diários e o acabamento em geral também estava OK. A empresa que produziu essa peça foi a Spyder.

A bandana foi feita em poliéster, um material parecido (ou o mesmo) com o da camisa e achei o modelo bem fácil de usar! Foi a primeira vez que utilizei uma bandana sob o capacete e achei a novidade legal porque evita que você pegue aquele monte de poeira da estrada e depois fique com cabelo de espantalho.

O sacochila, um tipo de sacola com alças de nylon, era de tamanho pequeno, contudo bem acabado. Mas, como a intenção era comportar os itens do kit, acho que valeu!

Para finalizar duas fitas auto colantes de papel simples que davam acesso ao café da manhã e ao almoço no encerramento do evento.

Sobre a relação de preço / beneficio levando-se em consideração o kit do evento, na minha opinião o valor do evento (R$ 60,00) ficou entre baixo e médio. Ou seja, uma valor bem razoável pelo conteúdo e qualidade do kit ofertado. Acho que se chegassem no preço de 50 mangos seria perfeito, mas tá bom não podemos reclamar!

Läs mer external

Kommentarer

    Du kan eller den här leden